Correio do Cidadão – Nº 344

Seis

(Tiago Silva)

Pedro Novais (PMDB-MA), do Turismo, Wagner Rossi (PMDB-SP), da Agricultura, Antonio Palocci (PT-SP), da Casa Civil, Alfredo Nascimento (PR-AM), dos Transportes, Nelson Jobim (PMDB-RS), da Defesa, e Orlando Silva (PCdoB-SP), do Esporte. O que todos esses senhores têm em comum?

Se o caro leitor tem boa memória vai saber que se refere ao seleto clube de senhores do primeiro escalão do Governo Federal que, por motivos obscuros, deixaram a Esplanada dos Ministérios. Todos suspeitos de usufruir de recursos da Viúva em benefício próprio, à exceção é Nelson (votei no Serra) Jobim, que saiu simplesmente por dizer algumas ‘verdades’ por aí…

De junho pra cá, não passamos um mês sequer em branco.

07 de junho: o primeiro ministro do governo Dilma Rousseff a cair foi o chefe da Casa Civil, Antonio Palocci. O paladino da estrela vermelha foi acusado de tráfico de influência em favor de sua empresa de consultoria, a Projeto.

06 de julho: cai o ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, após a publicação de várias reportagens denunciando um esquema de corrupção comandado por ele dentro da pasta.

04 de agosto: após dar declarações indigestas à Revista Piauí, o então ministro na Defesa, Nelson Jobim, pede demissão para evitar possíveis represálias.

17 de agosto: cai Wagner Rossi, ministro da Agricultura, alvo de uma enxurrada de denúncias o envolvendo com lobistas.

14 de setembro: acusado de mau uso do dinheiro público (que incluía pagamento do salário de sua empregada doméstica), Pedro Novais é demitido da pasta do Turismo.

Ontem, 26 de outubro, foi a vez de Orlando Silva. Sua situação ficou insustentável após as inúmeras denúncias feitas pelo policial João Dias.

Se seguir nesse ritmo, em abril a presidenta poderá montar um time, o Ex-Ministros Futebol Clube.


De prêmio de consolação à pasta mais cobiçada

O Brasil vai sediar os dois maiores eventos esportivos da humanidade, a Copa do Mundo, em 2014, e as Olimpíadas, em 2016. Isso elevou o Ministério do Esporte ao posto de pasta mais importante da década na República Federativa do Brasil. O caro leitor deve se perguntar: “ora, mas por quê?”

Simples, muito simples…

Nunca antes na história deste País tantas verbas são destinadas ao Esporte, o que está causando uma obesidade mórbida (engordar é pouco!) nos olhos dos partidos aliados. Sim, eles gostam é de dinheiro…

As denúncias apresentadas na revista Veja desta semana sobre um suposto esquema de corrupção envolvendo o chefe da pasta, Orlando Silva, jogou mais alguns litros de gasolina nessa fogueira. Silva é o indicado do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), partido que, na sua pequena ou nula importância, certamente vai perder o controle da pasta, após a reforma ministerial programa para janeiro de 2012.

Na fila, podemos contar com os medalhões PMDB, PR, PT e (por que não?) o recém formado PSD.

Todos interessados em usar os bilhões que vão jorrar na conta do Esporte de maneira correta para que sejam realizados ótimos eventos, dentro da legalidade?

Ó, ingenuidade…

Repito, eles gostam é de dinheiro!

 

Tiago Silva

Cartunista e nem um pouco ingênuo


Juízes federais ameaçam entrar em greve

(Tiago Silva)

A partir do dia 30 de novembro, juízes federais e trabalhistas vão cruzar os braços. Aderiram ao movimento a Associação de Juízes Federais (Ajufe) e a Associação de Magistrados do Trabalho (Anamatra).

Coitados…

Recebem a mixaria de R$ 26,7 mil e tudo o que eles querem é um reajuste de R$ 3,9 mil reais… Só isso!

Talvez esse pequeno reajuste sirva para comprar óleo de peroba suficiente para vossas excelentíssimas caras de pau…


Na surdina, ministros de STF aumentam seus próprios benefícios

(Tiago Silva)

Na noite da última quarta-feira, 21, os ministros do Superior Tribunal Federal (STF) aprovaram, por sete votos a um, o aumento de um benefício concedido a eles próprios: o auxílio-moradia.

Um aumento de míseros 60% e a quantia recebida por ministros que não possuem residência fixa em Brasília passou de R$ 2,7 mil para R$ 4,3 mil mensais.

Enquanto a maioria esmagadora da população amarga a vida com uma renda média de menos de mil reais por mês, ELES têm mais de quatro vezes isso só de auxílio-moradia. Isso fora os seus astronômicos salários de R$ 26,7 mil que ELES pretendem levar a R$ 30,6 mil para o próximo ano, o que acarretará em um efeito cascata de aumentos, atingindo praticamente todo o funcionalismo público, visto que o teto vai ser expandido.

Não preciso nem falar quem vai pagar tudo isso, né?


Correio do Cidadão – Nº 323

Cai, cai, ministro…

(Tiago Silva)

Insustentável, insuportável, irreversível…

Como dizem por aí, “o bagulho ficou louco” para o chefe da pasta do Turismo, Pedro Novais. Acompanhado do vice-presidente da República e chefe supremo do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), Michel Temer, Novais entregou sua carta de demissão à presidenta Dilma Rousseff.

As acusações de usar dinheiro público para pagar seus funcionários particulares pesaram muito nas costas do “pobre velhinho”… coitadinho!

Como era de se esperar, o cargo continua nos domínios do PMDB e Dilma deixou para Temer escolher o novo ministro.

Já se passaram pouco mais de oito meses e o governo Dilma já acumula a marca histórica de CINCO baixas em seus ministérios. Destes, quatro sob suspeitas de inúmeras irregularidades e um por atacar verbalmente colegas da Esplanada.

A presidenta jura que está tentando, mas parece que o GOVERNO não quer deixar ela GOVERNAR…


Os peões e o bispo do pau oco

(Tiago Silva)

Dizem por aí que futebol e religião não se discute, porém, não vamos falar aqui de religiosos, e sim, de criminosos. Em denúncia protocolada pelo Ministério Público Federal em São Paulo, o autoproclamado bispo da igreja Universal do Reino de Deus, Edir Macedo, é acusado, junto de mais três membros/comparsas, por cinco crimes. Segue a lista:

1. Formação de quadrilha

2. Estelionato

3. Falsidade ideológica

4. Evasão de divisas

5. Lavagem de dinheiro

Ainda de acordo com a denúncia, o grupinho remetia ilegalmente para os Estados Unidos milhões e mais milhões. Tudo vindo do bolso dos fiéis.

Segundo o autor da denúncia, procurador Silvio Martins de Oliveira, o ‘dim-dim’ foi obtido através de falsas promessas e ameaças de que a salvação espiritual e financeira só seria alcançada por quem se sacrificasse economicamente pela igreja.

A Universal reagiu com uma nota onde acusa (para variar) a mídia por ataques e denúncias, que sempre se mostram inverídicas…

Amém.


Desfaçatez

s.f. Falta de vergonha; impudência, descaramento, cinismo.

(Tiago Silva)

Assistimos, nesta semana, mais um episódio da série Me Engana Que Eu Gosto, promovida pela Câmara Federal. A protagonista da saga, Jaqueline Roriz, filha de Joaquim Mensalão do DEM Roriz e de Weslian Craque em Debates Roriz, viveu momentos de tensão com pitadas daquele suspense típico das melhores séries. Vamos analisar o roteiro…

Em 2006 Jaqueline, que neste mesmo ano disputou sua primeira eleição consagrada com um mandato de deputada distrital (equivalente a deputado estadual no restante do Brasil), foi pilhada em um vídeo onde aparece recebendo dinheiro sujo de Durval Barbosa, o delator do Mensalão do DEM de Brasília.

Porém, o vídeo e a denúncia só vieram à tona neste ano, cinco meses atrás. Jaqueline, agora deputada federal, teve a continuação de seu mandato posta em votação. A acusação, quebra de decoro parlamentar. Mas…

No Brasil tudo acaba em pizza.

A frase acima é tão clichê quanto verdade. A pizza de Jaqueline Roriz veio recheada com 265 saborosos votos de absolvição.

Protegidos pelo escudo do voto secreto, os nobres colegas preferiram não abrir o portal por onde muitos deles poderiam passar também, caso Jaqueline fosse cassada.

Isso coloca uma dúvida em nossas cabeças. A desfaçatez se aplica a eles ou a nós, que os colocamos lá, e ainda por cima, aceitamos tudo isso?